Re:Costura
19/03/2017
0

Foi já há uns dias que fui re-costurar era um par de calaças e um colete antigos. As calças já não me serviam e o colete era demasiado curto. A ideia não era arranjar estas peças de roupa era transformá-las, dar-lhes outro propósito, criar algo novo. A pensar na ideia de que andamos a consumir demais e a criar de menos, a FIO juntou-se com a Circular Economy Portugal e a Fashion Revolution para nos dar oportunidade de criar com as coisas que já não usamos, até já nem gostamos mas que mantemos em casa porque também não conseguimos jogar fora.

O evento de Re:Costura foi um workshop de reutilização & transformação de materiais têxteis  e tinha a premissa de que, “Toda a gente tem roupa velha ou que já não veste por uma razão ou por outra. Os têxteis têm uma enorme pegada ecológica e não deveriam ser deitados fora mas reutilizados tanto quanto possível. O problema é que os modos convencionais de reutilização e reciclagem de têxteis não são suficientes.

É por isso que o workshop Re:Costura vai dar uma segunda vida à roupa que tens mas já não usas. T-shirts velhas? Aquela saia ou casaco que já não servem? Trá-los ao workshop Re:Costura, onde costureiras experientes os transformarão em novas peças de roupa feitas à tua medida. Não se trata de remendar mas de reinventar: de lixo a luxo!”

Para verem como foi fica aqui um pequeno vídeo do evento.

Para mim esta foi uma experiência a repetir.

Existe um sentimento de satisfação quando nos é dada a oportunidade de fazer algo com o que já não se quer, já não serve ou simplesmente não se usa para que se torne algo novo. Não são muitas as pessoas que hoje aprendem a usar agulha e linha e/ou máquina de costura.

A possibilidade de sentar atrás de uma bancada de costura e dizer esta é a minha ideia de transformação e ver a coisa acontecer à minha frente é um sentimento muito bom. O tempo do evento foi curto e o produto final não ficou acabado mas no meu caso umas calças de ganga e um antigo colete ambos que eu não usava há anos deram origem a uma mala e outros foram os desfechos para muitas das peças que passaram pelas mãos das seis costureiras convidadas.

No meu caso a Paula trabalhou muitos anos numa fábrica que existia na Graça, que acabou por falir, a costurar lancheiras. Hoje em dia faz roupa para bebé e criança por encomenda e tem um prazer muito grande em criar coisas novas por isso aceitou o desafio de participar no evento.

A destreza com que cozia, cortava e rasgava o tecido era de pôr inveja a qualquer pessoa.

Foi uma tarde bem passada em que nos lembrámos da possibilidade de fazer algo novo com coisas que não usamos, em que nos lembrámos do potencial de algo que não usamos mais mas que, pode encontrar nova vida.

Queering style

Queering style

O queeringstyle é um espaço queer feminista, que tem como missão a visibilidade de discursos, de identidades variadas para que pessoas possam falar de si, estar e ocupar espaço.
Queering style