No dia em que te foste embora
16/11/2016
0

Eu sabia que não me ias deixar.
Sabia que não ia acabar ali
Sabia que ias continuar dentro das minhas entranhas porque os amores não nos deixam ao mesmo tempo que as pessoas vão ou quando as pessoas querem ir.

Os amores entranham-se debaixo da pele, e vão abrindo caminho até ao coração, preenchendo-nos o peito e criando sentido ao ar que nos entra nos pulmões.

Foste, mas o ar continua a entrar, o coração ainda a bater e não me deixaste.
Ficas na memória de algo que poderia ter sido mas não foi.
Ficas naquele monte que fazemos com as coisas que ficam mas já foram. Ficas no lugar que o meu coração entretanto reservou e, se está reservado mais ninguém se pode nele sentar.

Recomeço com um coração-sala cheio de lugares vazios e um ou outro lugar ocupado por uma ou outra cara familiar, das que ficam para assistir ao espetáculo até ao fim, que vão te dizendo que sim mesmo quando não estiveste assim tão bem.

O espetáculo tem de continuar ainda que a cada partida sinta que valerá um bocadinho menos a pena a vinda.
Afinal são tantos os lugares vazios que o espetáculo não deve ser assim tão bom.
No entanto alguém fica e quem fica não tem de nos perder apesar de andarmos a distribuir pedacinhos de nós por aí.

Ficamos então, numa sala mais vazia que cheia mas que, não deixamos porque o espetáculo não é de mais ninguém a não ser nosso e o que é familiar merece-nos o ficar apesar de nos lugares vazios restarem tantos pedacinhos de nós que foram e podem nunca mais voltar.

Alexa Santos

Alexa Santos

Depois de anos sem encontrar um espaço que pudesse chamar seu, Alexa criou o queeringstyle. No início uma página de Tumblr, hoje um espaço para pessoas que queiram falar, estar, partilhar. Não sabe muitas vezes parar porque, tudo o que faz vem do centro do peito. Gosta de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, por isso é possível que se encontrem algures. Se sim, não deixes de dizer olá.
Alexa Santos

Artigos recentes por Alexa Santos (ver todos)