Semanário
Assim foi – Fevereiro
05/03/2017
0

Fevereiro foi o mês do amor, #HoldTight é uma campanha Australiana para sensibilizar para o facto de pessoas que gostam de outras do mesmo sexo não puderem andar livremente de mãos dadas, deixamo-vos o vídeo dessa campanha para abertura do assim foi deste mês. Em Fevereiro falámos de relacionamentos, de olhar para o mundo através de corações ao mesmo tempo que desconstruímos romances e falámos de amor próprio e de como esse é tão importante.

I love my natural hair!

O que este corpo faz – <3 – #ThisBody

Porque é importante acabar com a hegemonia do corpo magro  e porque o amor é para todas as pessoas – 37 retratos de casais que questionam tamanho.

Quando falamos de Demisexualidade sobre o que é que estamos a falar?

 

E sim, a Kristen Stewart disse que era gay no S.N.L.

num discurso lindo dirigido a Trump que ainda no mês de Fevereiro retirou protecções a jovens trans nos EUA.

Já sabem o que vai acontecer no dia 9 de Junho – OITNB – vai estar de volta!

Sobre a necessidade de espaços específicos ajudámos a preparar um evento chamado “Onde é que elas andam” porque continuamos a achar importante a possibilidade de estar e ser em espaços seguros com quem igual a nós.

E deixamos o documentário que mostrámos – Searching for the Last Lesbian Bars in America – são apenas 20 minutos das vossas vidas e mostra um pouco daqueilo que são as nossas preocupações também em Portugal.

Por falar em espaços seguros, um exemplo de espaço seguro por e para mulheres que usam hijabs.

Sobre masculinidade e filmes que nos representam, vimos Moonlight entrar nas salas de cinema arrecadar o Óscar para melhor filme nos Academy Awards. #thisgoesoutto 

Ainda sobre Óscares, era 1940 e Hattie McDaniel foi a primeira pessoa negra a ganhar um Óscar.

Por falar em diferentes formas de fazer masculinidade e feminilidade e filmes que nunca chegam aos Óscares, o documentário “KiKi”.

Que coisas assumimos sobre pessoas trans? – Are you gay? – o vídeo.

Outra coisa, será que o racismo é um espectro?

Também para ver, sobre racismo – I am not your negro – a história de James Baldwin (1965) e de como racismo não é só parte de um pensamento mas molda formas de estar de sociedades inteiras em relação a determinadas minorias neste caso por casa da cor da pele.

im not your negro

Sou uma pessoa negra mas não sou – pela BuzzFeed.

Pode a poesia ser protesto? – Seu Jorge em Negro Drama : Racionais.

Assim como a música pode ser protesto – FUTUREHOOD – “The one thing I want my music to do is open doors.” a editora discográfica queer que junta artistas negros queer de forma a que possam encontrar as suas vozes. – vejam o vídeo.

Drag é também uma forma de encontrar a nossa voz – Panda Dulce

E porque aprender a gostar de Blues é também saber que muitas das mulheres pioneiras dos Blues gostavam de outras mulheres. #lovingtheBlues #Bluesladylovers

Sobre moda, queremos mostrar-vos dez marcas de roupa criadas por pessoas queer negras. – Qwear

1. Malaika Apparel Co.

2. Trans* Is Beautiful 

3. STUZO CLOTHING 

4. Mosaert

5. Rahyma 

6. NAKIMULI 

7. Brooklyn Circus

8. Very Black

9. The Wrap Life

10. Jag and Co 

Voltamos a lembrar: A moda NÃO É BINÁRIA e pessoas lidas como homens não devem ser julgados pelo uso desta ou daquela peça de roupa.

Março já começou e o mês do Dia Internacional da Mulher está aí.

O convite é (re)pensar o que é isso e ser mulher e quem pode ser chamada de mulher. #padrõesdemulher #quantasmulhereshá #quempodesermulher

Há muitas coisas a acontecer. Se quiserem o vosso evento no site é dizer. Nós como sempre vamos tentar estar em todas, esperamos ver-vos por aí.

Até já <3

Queering style

Queering style

O queeringstyle é um espaço queer feminista, que tem como missão a visibilidade de discursos, de identidades variadas para que pessoas possam falar de si, estar e ocupar espaço.
Queering style