A Refletir o 25 de Abril
24/04/2017
0

Hoje ainda  há muito por onde fazer liberdade.
Hoje ainda há muito por onde sair à rua e deixar claro que não vamos deixar os Tumps da vida reinar, as Le Pens do mundo continuar e os Putins massacrar.
Neste momento onde em todo o lado ou ganha a finança ou o racismo e a xenofobia, é onde o espaço tem de ser mais ocupado e as nossas vozes têm de ser mais ouvidas contra o colonialismo contemporâneo global, contra o neoliberalismo e o capital.
Esta não pode ser a solução, o discurso tem de deixar de ser:

– Ora, se não queremos a pessoa racista vamos votar pelo capitalista que é menos mau.
As manobras à Hillary já mostraram não dar bom resultado porque quem acaba por ficar no poder, por ter mais tempo de antena é sempre aquele que der mais espetáculo. E o espetáculo só continua porque nós o consumimos. Na verdade rimos e lavamos daí as nossas mãos e dizemos:

– Não é aqui, tá tudo certo.

Como se o mundo não fosse redondo e o que acontece ali não acontecesse também ao nosso lado, nos meios de transportes, na rua e dentro de nossa casa. Até porque não há televisão e Internet, tá tudo certo com esse pensamento.
A democracia e a liberdade não podem viver à mercê de quem tem dinheiro dos centristas descontrolados e das promessas de direita desmedidas.
A solidariedade e sororidade têm de se fazer sentir também nos assentos parlamentares e não é só através dos outros, dos que dizemos que mandam, mas de nós também. De nos propormos a sentar naqueles lugares e de nos levantarmos, e sairmos á rua de todas as vezes, não é só hoje que morreram mais mil e o número já torna a coisa mais palpável, ou amanhã que o crime de género foi aqui num país mais perto e então já nos toca mais. É sempre, de todas as vezes é saber que #nemmaisuma é efetivamente gritar por todas as vítimas, cis e trans, da violência de género. É dizer não á xenofobia e racismo seja católico ou muçulmano, árabe ou inglês. Não existem pessoas de segunda e vidas humanas que valem mais e outras menos.
Não nos podemos deixar contagiar com discursos nacionalistas e tacanho-populistas porque a realidade não tem fronteiras e o mundo acontece em todo o lado.
A liberdade é para todas as pessoas sem excessão, hoje, aqui e sempre. Para isso não podemos baixar os braços lá porque não ouvimos noticias de massacres nas notícias.
O 25 de abril é todos os dias porque quem oprime não espera por um dia no ano, exerce opressão todos os 365 dias do ano.
#queeringstyle
#25deAbril

Alexa Santos

Alexa Santos

Depois de anos sem encontrar um espaço que pudesse chamar seu, Alexa criou o queeringstyle. No início uma página de Tumblr, hoje um espaço para pessoas que queiram falar, estar, partilhar. Não sabe muitas vezes parar porque, tudo o que faz vem do centro do peito. Gosta de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, por isso é possível que se encontrem algures. Se sim, não deixes de dizer olá.
Alexa Santos

Artigos recentes por Alexa Santos (ver todos)